POST / CONTEÚDO GRATUITO 

Caos: processo criativo, maternidade, semelhanças e seus aprendizados



Quando a Manu nasceu, nossos primeiros 50 dias em casa formam no modo “vamos deixar rolar” e observar (+ aprender). Pois assim como Manu, éramos pais recém nascidos!


Como era de se esperar, esta nova pessoinha chegou com todas as suas demandas (sem hora marcada) se sobrepondo a todas as rotinas da casa.


Porém, ao mesmo tempo em que estamos aprendendo a lidar e a construir o relacionamento com a nova integrante da família, não podíamos deixar de atender as necessidades fisiológicas e afetivas na nossa querida companheira (e ciumenta) Teca. Uma cachorrinha daschund (linguicinha) de quase 17 anos e paraplégica a 4 anos. E acredite, a demanda de cuidados dela é tremenda! Mas nada nos faz amar menos nossas gurias.


E nessa hora quem resolve bater a porta para passar um tempinho conosco? O caos!


Eis que começam a aparecer as semelhanças! Pois também vivenciamos o caos no processo criativo. Existem ferramentas de criatividade para promovê-lo! Faz parte do processo.

Agora, mesmo que você não tenha uma pessoinha tão pequena (e fofa!) dependendo 100% de você, vou te dizer - confia em mim - que você possivelmente viveu ou vive algo semelhante.


Vamos lá, caiu na pauta um novo projeto para ser feito. Temos um novo problema que precisa ser mapeado, estudado, definido; pesquisas para compreender necessidades do cliente, do usuário do cliente e do mercado, para então ter matéria-prima para levantar o seu processo criativo e chegar a uma solução.


Agora visualiza comigo, você está ali no meio de um grande volume de informações, talvez tenha até que aprender ou aprimorar uma habilidade que o atual projeto vai exigir para chegar a tal solução. Ideias pipocam na cabeça para aumentar aquela sensação de “por onde começar”.


DETALHE: sua agenda/pauta de trabalho não tem botão de pausa para que você possa realizar tudo isso deixando de trabalhar nos outros projetos que já estão rolando em paralelo.

Consegue ver o caos aqui? Parece louca toda esta dinâmica, mas este movimento em parte alimenta nosso ritmo criativo.

Respira comigo e repita: tá tudo certo, é apenas parte do processo que não pode ser evitada, mas pode ser aperfeiçoada!


O que tem me ajudado muito a vivenciar o caos do processo criativo (e da maternidade), etapa em que entramos como grande observadores dos fatos em busca de padrões, aprendizados e possíveis novas conexões é mapear as rotinas internas e externas.


  • Rotinas Internas: aqui listo as necessidades e atividades da minha rotina, ou seja, as atividades as quais eu tenho o controle.


  • Rotinas Externas: são todas as atividades e necessidades que precisam ser realizadas, porém não estão sobre o meu controle.

Ao colocar as atividades e tarefas em perspectiva dentro de um planejamento de rotinas internas e externas, é possível mapear o que é urgente, delegável e negociável! Além de compreender quais sãos os hábitos que estão roubando tempo produtivo e energia criativa, como horas de TV e redes sociais em excesso.

Existem inúmeros benefícios ao lançar um olhar para nossas rotinas de forma planejada, e ao contrário de que alguns pensam, a criatividade necessita de limites para fluir. Eu uso o planejamento como estrutura para orientar (e poupar) minha energia criativa.


Mas vou listar 3 benefícios que considero bem importantes:


  • Otimizar energia. Ao dividir as atividades ao longo da semana ou mês, temos maior clareza para agrupar atividades semelhantes e sequenciais, limitando uma constante mudança de foco, isso otimiza nossa energia durante o dia. Pense que é possível mergulhar mais profundamente usando um tanque de oxigênio do que ter que ficar voltado a todo momento para a superfície para respirar.


  • Direcionar a energia para o que é importante. Veja que o caos é uma etapa de um processo onde há um grande volume de informações e demandas que precisam ser absorvidas e organizadas para então promover aprendizado e evolução na busca de soluções para um problema. Portanto, ao ter um planejamento podemos realizar checkpoints (checagens periódicas) para sabermos se estamos evoluindo ou se apenas estamos correndo sem sair do lugar (apenas gastando energia sem produzir nada). Ele vai nos mostrar quais são as atividades que podem estar sendo apenas sequestradoras de energia e criatividade.

  • Ameniza a ansiedade. É natural que ao longo do processo, conforme o caos vai se dissipando e vamos evoluindo nosso aprendizado, é possível construir blocos de tempo para fazer outras coisas igualmente importantes para nós. Nessas horas ter um planejamento das coisas que quer realizar vai afastar aquela ansiedade que bate quando descobrimos que agora tem tempo para fazer as coisas porém não sabemos por onde começar. [ e enquanto pensamos o que fazer primeiro lá se foi o tempo…]

Agora com quase 4 meses, já temos uma estrutura das rotinas da Manu mais definidas (rotinas externas), logo organizo blocos de tempo durante o dia para realizar minhas rotinas (rotinas internas), como encaixar a volta de algumas atividades do meu trabalho como ler, estudar, assistir documentários e produzir conteúdo. Além de cuidar da casa e mantendo a Teca bem e feliz (rotinas externas e internas que também podem ser delegadas).

Quanto maior for o foco nas atividades que estamos tentando fazer, melhor canalizamos nossa energia, logo, mais rápido ganhamos tração criativa.

Pergunta: O que pode estar drenando a sua energia e força criativa? Observe sua rotina (ou a falta dela) e reflita sobre o que pode estar te levando a se sentir sobrecarregada(o) ou ineficaz?


Da série: A maternidade aos olhos de uma mãe empreendedora criativa.

#processos #paraporemprática #organização #energiacriativa #rotinas #processocriativo

48 visualizações
  • Instagram Pamela Machado
  • Spotify Pamela Machado
  • LinkedIn
contatos_v.png
contatos-02.png